BOM PRINCÍPIO: A CAPITAL DO MORANGO

Bom Princípio é uma cidade Gaúcha conhecida por ser a capital do morango. Para homenagear o ícone, de dois em dois anos acontece a Festa Nacional do Moranguinho. E, por sinal, o pórtico de entrada da cidade é um morango gigante. E nós, apaixonados por morangos como somos, fomos na cidade no período do festival e aproveitamos para conhecer os outros pontos turísticos dessa pequena cidade.

BOM PRINCIPIO: A CAPITAL DO MORANGO, Festa Nacional do Moranguinho1

Festa Nacional do Moranguinho

BOM PRINCIPIO: A CAPITAL DO MORANGO 4

Festa Nacional do Moranguinho

A cidade foi emancipada em 12 de maio de 1982. Está situada no Vale do Rio Caí e tem cerca de 14 mil habitantes. Sua origem é alemã e até hoje boa parte das pessoas que residem no munício tem essa origem.

Como chegar em Bom Princípio?

Carro ou ônibus. A estrada é pela BR 116 e depois entra na RS 240, que passa a ser ERS 122 até chegar a Bom Princípio.

Distância de Porto Alegre: 76km

Letreiro na entrada de BOM PRINCÍPIO

O que fazer em Bom Princípio?

Parque Municipal

 

O Parque Municipal de Bom Princípio, conhecido pelo Morangão, abrange diversas funcionalidades do lugar e sedia as principais festividades da região. O Parque, de fácil acesso, é espaço de convivência e prática de esportes.

Parque Municipal Durante o festival do Moranguinho

Parque Municipal

Endereço: Rua Celestino Volhweis, Centro, Bom Princípio.

Pórtico de entrada da cidade (Morangão)

 

Situado no Parque Municipal, é uma das referências visuais da Capital do Moranguinho.

Pórtico de entrada O Morangão

Morangão

Centro Administrativo de Bom Princípio

Localizado na Av. Guilherme Winter, nº 65, no Centro de Bom Princípio, abriga a Prefeitura Municipal e a Câmara de Vereadores.

Centro Administrativo

Centro Administrativo de Bom Princípio

Igreja Nossa Senhora da Purificação

A Igreja Matriz, em estilo neogótico, teve sua construção iniciada em 1871 e foi dedicada à Nossa Senhora da Purificação. As paredes do templo foram feitas de pedra, sendo que o corpo e a torre foram concluídos antes de 1893. Os altares foram esculpidos em madeira pelo artesão Miguel Flach e as vidraças das janelas foram importadas da Boêmia (atual República Tcheca).

No ano de 1898, o templo foi solenemente consagrado ao culto divino pelo bispo de Porto Alegre. Entre 1908 e 1910, o artista Ferdinand Schlatter (natural de Lindau, Alemanha) embelezou o interior da igreja com pinturas retratando cenas bíblicas, seguindo o estilo neogótico germânico.

Igreja Nossa Senhora da Purificação RS

Igreja Nossa Senhora da Purificação

A Matriz de Bom Princípio constitui um verdadeiro patrimônio espiritual da imigração alemã e, cientes desse significado, os habitantes da cidade vêm promovendo diversas obras de restauração e conservação da igreja nos últimos anos.

Centro Educacional Marista de Bom Princípio

O Centro Educacional Marista de Bom Princípio é um espaço amplo, com infraestrutura completa para atividades multidisciplinares em áreas fechadas e abertas. O prédio histórico, que data de 1900, possui ambientes preparados para receber palestras, cursos, convenções, seminários, retiros, confraternizações e atividades esportivas. Berço da atuação marista no Sul do Brasil, une tradição em meio à natureza, possibilita realização de atividades ao ar livre e possui acomodações com capacidade para acolher até 75 pessoas.

Durante muitos anos, serviu como centro de formação dos religiosos e, a partir de 1999, a casa foi reformada e adaptada para se transformar em um espaço para atividades múltiplas, especialmente dedicada a encontros formativos e pastorais.

Centro Educacional Marista

Centro Educacional Marista de Bom Princípio

Caverna Indígena

A Caverna Indígena representa um espaço histórico que remonta às origens do território.

Caverna Indígena em Bom Princípio Rio Grande do Sul RS Gruta Indígena

Caverna Indígena

Fica localizada no Bom Fim Baixo, dentro de uma propriedade. Para visitá-la, perguntamos para os moradores da região como chegar e, então, nos indicaram a casa do proprietário do terreno, que autorizou nossa entrada. Não foi muito fácil de achar, na verdade, não foi nada fácil. Quando descobrimos onde era, foi preciso caminhar um pouco no lodo, para então chegarmos à caverna escondida.