PORTO ALEGRE, A CAPITAL GAÚCHA

É praticamente impossível definir Porto Alegre, a capital do Rio Grande do Sul, em breves linhas; na árdua tarefa de capturar a essência de tantas esquinas, prédios, lugares e paisagens, é o poeta Mario Quintana – que transitou pelas ruas, conviveu com seus moradores e frequentou lugares tradicionais – quem se sai melhor. A cidade possui inúmeros pontos históricos, atrativos arquitetônicos e encantos naturais, com destaque para o mágico pôr do sol do lago Guaíba, considerado por muitos o mais belo do mundo. Para os porto-alegrenses, os tons róseos que pintam o céu crepuscular compõem os finais de tarde mais espetaculares do planeta; é uma verdadeira pintura viva e fugaz.

O Mapa

Olho o mapa da cidade

Como quem examinasse

A anatomia de um corpo…

(E nem que fosse o meu corpo!)

Sinto uma dor infinita

Das ruas de Porto Alegre

Onde jamais passarei…

Há tanta esquina esquisita,

Tanta nuança de paredes,

Há tanta moça bonita

Nas ruas que não andei

(E há uma rua encantada

Que nem em sonhos sonhei…)

Quando eu for, um dia desses,

Poeira ou folha levada

No vento da madrugada,

Serei um pouco do nada

Invisível, delicioso

Que faz com que o teu ar

Pareça mais um olhar,

Suave mistério amoroso,

Cidade de meu andar

(Deste já tão longo andar!)

E talvez de meu repouso…”

 

Poema de Mário Quintana (1906 – 1994),

poeta gaúcho que traduziu para a beleza

dos seus versos a alma das ruas de Porto Alegre.

Bem- Vindo a Porto Alegre – Laçador

Na chegada pelo aeroporto, o visitante recebe as boas-vindas da estátua do Laçador, monumento de bronze que representa o gaúcho pilchado, um dos símbolos da capital. A obra de arte, feita pelo escultor Antônio Caringi, foi tombada como patrimônio histórico em 2001.

Laçador

Laçador

Centro Histórico de Porto Alegre

Foi a partir do Centro Histórico que a capital dos gaúchos realmente começou a crescer e tomar corpo; suas origens confundem-se com a própria gênese da cidade. Na geografia urbana dessa importante área histórica misturam-se prédios, ruas, estabelecimentos comerciais e praças. A Praça da Matriz, a Praça da Alfândega e o Largo Glênio Peres são os três principais logradouros da zona central, onde também se localiza a Rua da Praia, a mais tradicional de Porto Alegre.Nesse blog, o viajante será convidado a conhecer um pouco da história e das curiosidades que envolvem as principais regiões da inesgotável Porto Alegre. Receberá, também, uma porção de dicas e sugestões para explorá-la com o máximo de proveito. Vamos adiante!

Rua da Praia (Rua dos Andradas)

A Rua dos Andradas, carinhosamente conhecida como Rua da Praia, é a rua mais famosa, antiga e tradicional da cidade, existindo desde sua fundação. Num passado muito distante, as águas do lago Guaíba costeavam a via pública. Ficava defronte do antigo Porto de Viamão, recebendo uma colônia de povoamento que viria a fundar Porto Alegre.

Casa de Cultura Mário Quintana

Na Casa de Cultura Mário Quintana – onde originalmente funcionava o luxuoso Hotel Majestic –, viveu por muitos anos o poeta e tradutor Mário Quintana, autor de alguns poemas que cristalizaram a essência de Porto Alegre. Construído em 1916, o prédio possui estilo eclético, em tonalidade rosa, com dois blocos interligados por passarelas. Sacadas e colunas adornam o atual Centro Cultural, que comporta uma Biblioteca Pública e uma exposição dedicada a Mário Quintana, conservando o quarto onde ele ficava hospedado.

Rua da Praia (Rua dos Andradas)

Casa de Cultura Mário Quintana

Igreja Nossa Senhora das Dores

Seguindo pela Rua dos Andradas, o pedestre se depara com a Igreja Nossa Senhora das Dores – a mais bela e antiga Igreja de Porto Alegre, erguida em 1813 – acena com suas escadarias e seu estilo eclético.

Rua dos Andradas

Igreja Nossa Senhora das Dores

Praça da Alfândega

A Praça da Alfândega – antiga Praça Senador Florêncio – possui grandes paineiras, ipês e jacarandás. Integrando o grande calçadão da Rua da Praia, originou-se no século XVIII, no tempo em que ali funcionava o antigo porto fluvial da cidade. Na década de 1860, o espaço começou a tomar forma com a arborização e a construção do Chafariz da Imperatriz, oriundo da França e inaugurado por D. Pedro II em outubro de 1865. Nessa época, construíram-se os prédios da Delegacia Fiscal – atualmente o Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (MARGS) – e dos Correios e Telégrafos – onde hoje se situa o Memorial do Rio Grande do Sul.

Praça da Alfândega

MARGS

Praça da Alfândega

Memorial do Rio Grande do Sul

Praça da Matriz, parte alta do Centro Histórico de Porto Alegre

Na Praça da Matriz – oficialmente nomeada Praça Marechal Deodoro –, destaca-se o monumento a Júlio de Castilho, uma das esculturas mais impressionantes do Rio Grande do Sul, cercada por diversas edificações importantes, como os prédios dos três poderes, o teatro São Pedro, a Catedral Metropolitana, o Memorial do Ministério Público, o Solar Palmeira Fontoura.

Praça da Matriz

Praça da Matriz

Situada no coração da cidade, na parte alta do Centro Histórico de Porto Alegre, a Praça da Matriz já foi palco de relevantes fatos históricos. Desde a proclamação da República, seu nome oficial é Praça Marechal Deodoro, pouco conhecido pelos porto-alegrenses, que preferem chamá-la simplesmente de Praça da Matriz.

Nas proximidades da Praça da Matriz, há ainda diversos espaços culturais e turísticos, dentre os quais se destacam o Museu Júlio de Castilhos, o Solar dos Câmara, o Memorial do Legislativo e o Viaduto da Borges.

Largo Glênio Peres

O Largo Glênio Peres – nome dado em homenagem a um importante jornalista, compositor e vice-prefeito da capital – é, por excelência, o ponto de manifestações artístico-culturais e políticas, palco de inúmeras reivindicações ideológicas das mais diversas vertentes. Terceiro grande logradouro público da zona central, situa-se entre o histórico Mercado Público e a Praça XV de Novembro, onde funciona o tradicional bar e restaurante Chalé da Praça XV. Em frente ao Largo Glênio Peres, encontra-se o Paço Municipal.

Largo Glênio Peres

Largo Glênio Peres – Mercado Público

Mercado público de Porto alegre

Orla do Guaíba, o mais lindo pôr do sol de Porto Alegre

Um dos cantos mais charmosos de Porto Alegre é a Orla do Guaíba. Sua beleza natural passou por um processo de revitalização recente, incorporando novas estruturas que, além de adornarem a vista, oferecem maior conforto para aqueles que caminham ou passeiam de bicicleta por sua extensão.

Em extremidades opostas do calçadão, encontram-se a secular Usina do Gasômetro e o moderno museu Iberê Camargo.

Orla do Guaíba

Lago Guaíba

Travessa dos Venezianos

A Travessa dos Venezianos é uma pitoresca ruela situado no bairro Cidade Baixa, entre as ruas Lopo Gonçalves e Joaquim Nabuco; as dezessete casas históricas, datadas do início do século XX, foram tombadas pelo município.

Praças e parques de Porto Alegre

Porto Alegre é conhecida como uma das cidades mais arborizadas do Brasil, possuindo várias praças e parques espalhados por todo seu território. Os três principais parques são o Parque Marinha do Brasil, o Parque Moinhos de Vento (chamado de Parcão) e o Parque Farroupilha (chamado de Redenção).

Como conhecer Porto Alegre

Uma boa dica para conhecer os principais pontos turísticos da cidade é subir a bordo do ônibus panorâmico, que, percorrendo a Linha Turismo, promove um city tour bastante completo. A prefeitura de Porto Alegre disponibiliza informações acerca desse passeio em sua página oficial.

Alugar uma bicicleta em alguma das estações espalhadas pela cidade também é uma boa alternativa para quem gosta de pedalar, combinando o turismo com uma atividade física agradável. A cidade possui ciclovias, porém ainda insuficientes, visto que, em grande parte, não se encontram interligadas. É preciso, portanto, ter cuidado com o trânsito.