SIDERÓPOLIS, SANTA CATARINA

Siderópolis, um destino voltado ao ecoturismo, situado entre o vale e a serra, com encantadoras formações rochosas, paisagens de montanhas, cachoeiras, assim como instigantes trilhas para percorrer no meio da floresta junto às montanhas, integra um roteiro conjunto com outras cidades e Serra do Rio do Rastro. Siderópolis está na região Carbonífera de Santa Catarina, junto à encosta da Serra Geral.

Situa-se ao sul de Santa Catarina, na região turística de Encantos do Sul, fazendo limite com os municípios de Nova Veneza, Treviso, Criciúma, Bom Jardim da Serra, bem como Urussanga. A cidade está localizada entre a Serra do Rio do Rastro e o Oceano Atlântico.

Distância de Nova Veneza: 12 km

População: 13.000 habitantes

Altitude: 147m

História

A pequena e calma comunidade apresenta baixo índice de violência. É uma das principais cidades de origem italiana no Brasil provenientes da região do Vêneto. Em torno de 100 famílias chegaram à região catarinense em 18 de julho de 1891, imigrantes estes provenientes das províncias italianas de Veneza, Treviso, Ferrara, Belluno, bem como Bérgamo.

Os colonos italianos se espalharam por Nova Veneza, Urussanga, Treviso, Nova Belludo (atual Siderópolis) entre outras municipalidades. A cidade é de predominância católica, sobretudo pela herança deixada pelos principais imigrantes, os italianos. Também compõem a etnia de Sideropólis as descendências alemã e africana.

Compre sua passagem aqui

No início do século XX, com a descoberta de reservas de carvão mineral, a região transformou-se em grande polo de mineradoras. Nos dias atuais, ainda restam algumas minas de exploração de carvão.  Durante a Segunda Guerra Mundial, em razão de o Brasil estar em guerra contra a Alemanha e Itália, o Governo Federal impôs a troca do nome italiano da cidade, Nova Belluno. A localidade chamou-se Nova Belluno de 1913 até 1943, quando o interventor do estado de Santa Catarina, Nerou Ramos, decretou a alteração do nome da comunidade, que passou a se chamar Siderópolis (Cidade de Ferro). Nessa época, a localidade era distrito de Urussanga. Em 1958, Siderópolis se emancipou de Urussanga. A população predominante é de origem italiana. Outras etnias compõem a comunidade como alemã, luso-açoriana e africana.

A cidade predomina por ter um relevo plano, porém nos limites de Bom Jardim da Serra é uma região montanhosa, atingindo até 1000m de altitude. O clima se caracteriza por ser semiúmido.  O inverno é frio, podendo atingir a temperatura de -5ºC, e o verão é quente e chuvoso, com temperaturas elevadas, atingindo até 42ºC.

Contrate seu seguro aqui

A cidade realiza anualmente a Festa do Colono e o ecoturismo é o ponto alto de atração dos visitantes.

Onde ficar?

A maioria dos locais para hospedagem na cidade é em área rural. O melhor ponto para se hospedar é na cidade vizinha de Nova Veneza. Ela oferece uma boa oferta de hotéis e uma qualificada e reconhecida típica gastronomia italiana em seus restaurantes.

Como chegar?

Pela BR 101, entra para Criciúma e percorre mais 28 km. Também é possível chegar pela SC-446, pelo norte, proveniente de Treviso, Lauro Muller e Serra do Rio do Rastro. Pelo lado sul, o visitante pode vir de Nova Veneza.

Aguaí Santuário Ecológico

Aguaí Santuário Ecológico é uma propriedade privada inserida na Mata Atlântica, com uma área de 135 mil metros quadrados. O parque conta com diversas atrações no meio da exuberante natureza. Trilhas, passeio de pedalinho, tirolesa, bem como caíque são algumas atividades oferecidas. Animais como patos, galinhas, perus, pavões, gansos, assim como gatos andam livres. Inclusive, uma área super fofa para os amantes de felinos é o “condomínio dos gatos”.

Reserve seu carro aqui

mirante no Aguaí Santuário Ecológico SIDERÓPOLIS

A menor igreja da América Latina fica lá, a Igreja São Francisco de Assis, com apenas 4,24 metros quadrados. Sua estrutura possui um estilo medieval. O Santo São Francisco de Assis é considerado protetor dos animais.

SIDERÓPOLIS, Igreja São Francisco de Assis

Dentro do Santuário, também encontramos um anfiteatro, um espaço a céu aberto para shows, bem como apresentações culturais. Além disso, nos arredores do anfiteatro há duas belas pontes de pedra. Em breve, será inaugurado um museu.

SIDERÓPOLIS , Aguaí Santuário Ecológico

O local só abre aos finais de semana e há um restaurante de comida típica italiana no almoço e café colonial à tarde.

Barragem do Rio São Bento

A Barragem do Rio São Bento é o principal ponto turístico de Siderópolis. Junto com as montanhas, formam um dos mais belos cenários da região.

SIDERÓPOLIS, Barragem do Rio São Bento

Mirante da Barragem

A barragem é o maior reservatório de água da região sul catarinense. Trata-se de um lago artificial de 450 hectares, construído para abastecer os municípios ao seu redor. Por ali, era o bairro São Bento – parte dele foi inundado e a comunidade ficou submersa.

Reserve seu hotel aqui

SIDERÓPOLIS, Barragem do Rio São Bento

Mirante da Torre

Para admirar essa beleza, recomendamos dois mirantes: o da torre da igreja e o mirante da barragem. O mirante da torre da igreja é um ponto no meio da estrada onde enxergamos a torre da Capela de São Pedro, que pertencia ao local antes de ser afundada. Há uma placa indicando o local, contudo, não tem lugar para estacionar. Paramos o carro na estrada, mas ela é pouquíssimo movimentada. Já o mirante da barragem é bem preparado para receber visitantes, tem estacionamento, escadas e dali enxergamos a barragem.

Santuário Nossa Senhora de Fátima

O local é um mirante com um pequeno santuário e a maior estátua da Santa no Brasil, medindo 21,5 metros. É um cartão postal da cidade. Foi inaugurada em maio de 2012, esculpida pelo artista Osvaldo Zanini.

SIDERÓPOLIS,Santuário Nossa Senhora de Fátima

Para chegar no santuário e na imagem da Santa, é necessário percorrer alguns lances de degraus. A subida é um pouco cansativa, especialmente em dias quentes, mas vale a pena. O Santuário Nossa Senhora de Fátima fica no bairro Vila São Jorge.

Túnel de Siderópolis

Túnel de Siderópolis

O túnel da estrada de ferro fica no centro de Siderópolis e acabou se tornando atração turística. O túnel, com uma extensão de 388,45m, foi construído em 1942 por causa do crescimento da companhia Siderúrgica Nacional. A estrada de ferro ainda é utilizada, inclusive é necessário atenção dos motoristas, pois os trens cruzam as ruas – há sinais pela cidade para carros pararem quando passa o trem. O acesso é por uma rua sem saída (Rua Lauro Maria da Rosa), do lado do hospital, chegando ali já avistamos o trilho, então, descemos até ele e caminhamos sentido túnel (para a direita).

Túnel de Siderópolis

Paróquia Nossa Senhora Aparecida

SIDERÓPOLIS Paróquia Nossa Senhora Aparecida

A paroquia foi criada em 1947, quando, em um decreto, foi elevada de Capela de São João Batista para Paróquia Nossa Senhora Aparecida, a então escolhida para ser padroeira   de Nova Belluno (antigo nome de Siderópolis).

Monumento ao imigrante

SIDERÓPOLIS, Monumento ao imigrante

Placas de bronze incrustradas numa enorme pedra homenageiam os imigrantes que colonizaram a cidade. O monumento fica localizado no centro, em uma pequena praça, em frente ao Colégio Dom Orione.

Igreja de Santa Ana

SIDERÓPOLIS, Igreja de Santa Ana

Primeiramente, em 1898, a capela foi construída em madeira para abrigar a imagem de Santa Ana trazida da pelos colonizadores da Itália. Então, em 1928, construíram no mesmo local uma capela de alvenaria. A Igreja de Santa Ana virou patrimônio histórico e arquitetônico de Siderópolis em 1977.

Igreja São Floriano

SIDERÓPOLIS, Igreja São Floriano

Uma pequena e charmosa igreja nas cores azul claro, bem como branco, localizada no Bairro Rio Jordão.

Monumento do Gemellaggio

O monumento Gemellaggio simboliza a união entre dois povos, representado por duas pedras entrelaçadas. Assim, ele surgiu pelo pacto firmado entre os Zoldanos de Siderópolis (após 100 anos de colonização) e os Zoldanos de Forno Di Zoldo Itália (sua terra origem).

SIDERÓPOLIS, Monumento do Gemellaggio

O monumento fica ao lado do Posto de Saúde Rio Jordão, no Bairro Rio Jordão.

Casa de Pedra

SIDERÓPOLIS, Casa de Pedra

A Casa de Pedra era do imigrante Antônio Remor e começou a ser construída por volta de 1905. Essa casa não se encontra tão bem preservada como o conjunto de casas de pedra de Nova Veneza, assim como não tem preparo para turistas. Chegamos e pedimos para os moradores se podíamos olhar a histórica construção, eles autorizaram e foram bem simpáticos. Contudo, não é preparada para visitantes. A casa fica no Caminho dos Imigrantes.

Cachoeira do Bianchini

SIDERÓPOLIS, Cachoeira do Bianchini

A cachoeira do Bianchini possui uma queda de 12m, com muito verde que deixa o lugar ainda mais encantador. Ela é de fácil acesso, localizada na comunidade Rio Jordão Médio, na margem da SC-154. Ao estacionar na rodovia, caminhamos uns 50 metros e chegamos no topo da cachoeira, onde temos uma bela visão lateral vista de cima. Para acessar a parte inferior dela, é só cruzar a parte superior pelas pedras e depois contornar a queda. Então, ao chegar no gramado, terá uma trilha curta para ter a melhor visão da cachoeira.

Lugares acessíveis apenas por 4×4 e/ou trilha

_Trilha da Janela Furada

_Gruta da Serrinha

_Trilha das Pedras do Castelo

_Trilha do Caminho dos Tropeiros