ZONA COLONIAL: A HISTÓRIA E O CHARME ESCONDIDO EM SANTO DOMINGO!

A Zona Colonial de Santo Domingo é um bairro que foi declarado patrimônio histórico da UNESCO em 1990. Essa região da cidade nos encantou pelo seu charme; a vontade era fazer um clique a cada esquina, mas a temperatura de 40 ºC no dia da nossa visita não permitiu. A região é pequena e dá para fazer tudo a pé. Se estiver um calor tremendo, contudo – como no dia em que fomos –, vai ser bem cansativo e o viajante vai precisar de vááárias garrafas de água (lembrando que o calor absurdo é comum na cidade). Protetor solar também é indispensável. Caso não queira sofrer tanto com a temperatura, aconselhamos a fazer sua visita à capital pelos meses de janeiro e fevereiro, quando o calor não é tão absurdo.

Santo Domingo foi a primeira cidade da América, fundada em 1496, apenas alguns anos após a chegada de Cristóvão Colombo ao continente. Situada às margens do Rio Ozama, é um lugar repleto de história.

 

ZONA COLONIAL: A HISTÓRIA E O CHARME ESCONDIDO EM SANTO DOMINGO!

O que fazer na Zona Colonial de Santo Domingo?

Parque Colón

 

A praça central da Zona Colonial foi inaugurada em 1506 e se chamava Plaza Mayor. Em 1887, passou a ter o nome atual por causa de uma estátua de Cristóvão Colombo que se encontra meio do parque.

ZONA COLONIAL: Parque Colón

Parque Colón

Catedral de Santo Domingo

ZONA COLONIAL:Catedral de Santo Domingo

Catedral de Santo Domingo

 

A Catedral de Santo Domingo, também conhecida como Basílica Catedral de Santa María la Menor ou Catedral Primada das Américas, é a primeira catedral da América. Recebeu esse título pelo Papa Paulo III em 1546. Os restos mortais de Cristóvão Colombo estavam nessa Catedral até 1877; depois, passaram para o Farol de Colombo, onde se encontram até hoje.

Localiza-se no Parque Colón.

Ingresso: 50 RD$ por pessoa (valor de 2019).

Catedral de Santo Domingo parte interna

Catedral de Santo Domingo

 

Palácio Consistorial

 

Esse prédio histórico foi construído para ser a casa do prefeito no início do século XVI. No século XIX, foi remodelado com o estilo neoclássico da época e, em 1913, acrescentou-se a torre (marco da esquina da atual prefeitura).

Palácio Consistorial A HISTÓRIA E O CHARME ESCONDIDO EM SANTO DOMINGO! 4

Palácio Consistorial

Casa de Tostado

 

Essa casa foi construída na primeira década do século XVI para ser a casa de Francisco Tostado. A edificação colonial foi restaurada e virou um museu que mostra o estilo de vida das famílias de classe média dominicanas do século XIX. Por isso, é conhecido como Museo de la Familia Dominicana del Siglo XIX.

Ingresso: 40 RD$ por pessoa.

Horário: das 9h até 17h (terça a sábado).

ZONA COLONIAL: Casa de Tostado

Casa de Tostado

Duarte Park

 

No parque, encontra-se a estátua de Juan Pablo Duarte, o pai da independência da República Dominicana. Em frente, fica o Dominican Convent.

 

Dominican Convent

 

A fachada da igreja é uma mistura de vários estilos: gótico, barroco e gótico elisabetano. O convento foi restaurado em estilo barroco em 1746 e foi fechado durante a ocupação do Haiti até o século XX, quando os dominicanos retomaram o local. Hoje é possível visitá-lo. No fundo do convento, encontram-se as ruínas da primeira universidade da América.

Horário: das 8h30 até as 12h30 e das 15h até as 18h.

Dominican Convent: A HISTÓRIA E O CHARME ESCONDIDO EM SANTO DOMINGO! 4

Dominican Convent

Calle Las Damas

 

Em Santo Domingo, não faltam as “primeiras da América”: primeira catedral, primeiro hospital, primeira universidade e a primeira rua pavimentada a ser projetada, que é a Calle Las Damas, uma rua super charmosa e cheiaaa de pontos turísticos importantes da Zona Colonial. Por ela, desfilavam as damas da corte espanhola.

 

Vamos conhecer um pouco dos principais pontos da primeira rua da América?

 

Fortaleza Ozama

 

A primeira construção militar da América. A torre é um castelo medieval construído entre 1503 e 1507 por Nicolás de Ovando. O nome do forte foi dado por causa do Rio Ozama, sendo também chamada simplesmente de Fortaleza de Santo Domingo. A torre possui 18m de altura; em seu topo, há um mirante. Uma escada em caracol leva o visitante a uma vista panorâmica da Cidade Colonial.

Fortaleza Ozama: A HISTÓRIA E O CHARME ESCONDIDO EM SANTO DOMINGO! 4

Fortaleza Ozama

Ingresso: 70 RD$ por pessoa.

Horário: das 9h até as 17h.

ZONA COLONIAL: Vista da Fortaleza Ozama

Vista do topo da Fortaleza Ozama

Curiosidade:

  • Nicolás de Ovando (1460 – 1511) foi um militar e governador colonial espanhol. Foi ele quem administrou a mudança de Santo Domingo da margem direita para a margem esquerda do Rio Ozama, traçando lotes de maneira ordenada e construindo várias casas de tijolos e pedras para os moradores. Ovando também foi o responsável por edificações como a Fortaleza Ozama, o convento franciscano e uma casa de governo.

 

Kahkow Experience

 

A ideia desse lugar não é ser apenas uma loja com uma fábrica de chocolate, mas mostrar aos visitantes todo o processo do cacau. O local oferece algumas opções ao turista: conhecer a fábrica, criar seu próprio sabonete com a fórmula da manteiga de cacau, conhecer as origens do chocolate… também são oferecidas aulas para que a pessoa aprenda a fazer seu chocolate. Para provar os chocolates, há uma loja e um bar.

Horário: das 10h até as 19h, de terça a sábado; das 11h até as 19h, domingos; das 10h até as 18h, segundas.

Loja e fábrica de chocolate Kahkow Experience

Kahkow Experience

Trampoline Children’s Museum

 

É um museu interativo para crianças. Conta com exibição de ciência, cultura e conhecimentos sobre o ecossistema do país.

 

Esquina da Calle El Conde com Calle Las Damas

 

Outra rua importante da Zona Colonial de Santo Domingo é a Calle El Conde. Mas o que tem de diferente na esquina das duas ruas? Dizem que ali os homens da corte ficavam admirando as damas passarem.

ZONA COLONIAL: famosa Esquina da Calle El Conde com Calle Las Damas

Esquina da Calle El Conde com Calle Las Damas

A Calle El Conde é uma rua exclusiva para pedestres, abrigando uma variedade de restaurantes e lojinhas. De novembro a maio, nas quintas-feiras, ocorrem as Noites de Jazz; nessas ocasiões, nas belas escadarias da rua, apresentam-se talentosos músicos de jazz.

 Calle El Conde EM SANTO DOMINGO

Calle El Conde

 

National Pantheon of the Dominican Republic

 

Originalmente, o Panteão Nacional era uma igreja jesuíta, construída pelos espanhóis no início do século XVIII. Em 1955, foi restaurado, passando a ser um mausoléu, abrigando memoriais em homenagem a intelectuais, políticos e militares.

Atenção! Há relatos de aproveitadores no local, que abordam os visitantes e passam a servir como espécies de guias, contando histórias e oferecendo informações como se fossem empregados do lugar. Depois, exigem pagamento pelo serviço não solicitado.

National Pantheon of the Dominican Republic

National Pantheon of the Dominican Republic

Museo de las Casas Reales

 

O palácio foi construído por ordem da Coroa espanhola, em 1511, para ser sede dos principais escritórios do governo. Aqui funcionava o primeiro tribunal da América (Royal Audiencia). Hoje, o museu se propõe a contar um pouco sobre os hábitos e o estilo de vida da população durante o período colonial.

O ingresso inclui aparelho de áudio para guiar a visita.

Museo de las Casas Reales

Museo de las Casas Reales

Plaza de la Hispanidad or Spain

 

O principal ponto turístico da praça é o Alcácer de Colombo. É um local bem agradável, com restaurantes e bares na volta. No meio da praça, encontra-se a estátua do Nicolás de Ovando, fundador da cidade.

Nas sextas e sábados, a partir das 20h, ocorrem apresentações ao ar livre de danças e músicas dominicanas. Vale a pena conferir o espetáculo.

Alcácer de Colombo parte interna

Alcácer de Colombo

Alcácer de Colombo

 

O palácio foi construído pelo filho de Cristóvão Colombo, Diego Colombo (que chegou ao país em 1509, como governador), para ser a casa do rei e de seus descendentes. Atualmente, o local é um museu com mobílias e objetos do tempo medieval e da Renascença, que nos permitem fazer uma viagem pelo passado.

Alcácer de Colombo parte interna

Alcácer de Colombo

Casa del Cordón

 

Essa é provavelmente a casa de residência privada mais antiga de Santo Domingo. Serviu como residência temporária de Diogo Colombo e sua esposa (em 1509), enquanto o Alcácer de Colombo não estava pronto.

ZONA COLONIAL: Casa del Cordón

Casa del Cordón

Wax Museum Juan Pablo Duarte

 

O primeiro museu de cera do país, com peças em tamanho real que mostram a vida de Juan Pablo Duarte, considerado um herói da independência.

 

Curiosidade:

  • Juan Pablo Duarte (1813 – 1876) nasceu na Cidade Colonial de Santo Domingo. Foi um professor, militar e ativista liberal, sendo considerado um dos fundadores da República Dominicana. Ao lado de Francisco del Rosario Sáchez e Matías Ramón Mella, Juan Pablo Duarte organizou a sociedade secreta conhecida como La Trinitaria, que lutou contra a invasão haitiana e pela independência da República Dominicana.

 

Amber World Museum

 

Esse museu tem exposição de joias feitas com âmbar. Pode-se ainda observar o processo da resina se transformando em joia. O local vende algumas peças com âmbar para quem se interessar em levar de lembrança.

 

Monastério de San Francisco

 

O primeiro mosteiro da América. Mais uma obra de Nicolás de Ovando, construída em 1508, contudo concluída apenas em 1560. Assolado por furacões, ataques de piratas e terremotos, suas ruínas hoje constituem Patrimônio Mundial da UNESCO.

 

Hospital San Nicolás de Bari

 

Construído em 1503, foi o primeiro hospital da América, usado como base para outros hospitais. O nome é em homenagem a São Nicolau de Bari (santo padroeiro das curas). O local sobreviveu a ataque de piratas, terremotos e revoluções. Hoje restam as imponentes ruínas, um dos pontos essenciais para o turista passar quando conhecer a Zona Colonial.

Acesso livre.

Ruínas do Hospital San Nicolás de Bari

Hospital San Nicolás de Bari

Chu Chu Colonial

 

Uma opção para conhecer a Zona Colonial é andar nesse charmoso trenzinho, num passeio que dura 45min.

ZONA COLONIAL: A HISTÓRIA E O CHARME ESCONDIDO EM SANTO DOMINGO! 5

Chu Chu Colonial

Ainda na Zona Colonial de Santo Domingo, um pouco afastado dos principais pontos:

Memorial Museum of Dominican Resistance

 

Esse museu é uma homenagem aos homens e mulheres que lutaram para combater a ditadura de Rafael Leonidas Trujillo.

 

Curiosidade:

  • Rafael Trujillo (1891 – 1961) exerceu sua ditadura na República Dominicana de 1930 a 1961, com o apoio dos Estados Unidos. O ditador acumulou uma grande fortuna; calcula-se que sua família tenha chegado a deter 70% das terras cultivadas, além de inúmeras fábricas. Trujillo defendia o acúmulo de tantas propriedades pelo fato de nelas empregar a maioria do povo dominicano. Livrava-se dos opositores com brutalidade, ordenando mortes onde quer que se encontrassem; cerca de 50 mil pessoas morreram em virtude da repressão de seu governo, que tolhia as liberdades civis. Trujillo foi assassinado a tiros em uma estrada deserta no ano de 1961. Seu filho, Ramfis Trujillo, assumiu o poder e liderou uma caça implacável aos assassinos do pai, que foram torturados, atirados aos tubarões ou cometeram suicídio. Ante a pressão internacional e a ameaça de um levante interno, Ramfis Trujillo foi obrigado a se exilar.

 

 

Independencia Park

 

O parque localiza-se em frente ao início da Calle el Conde. Dentro do parque, está o Altar de la Patria e, em frente, a Calle el Conde. Ainda no Independencia Park, encontra-se a Puerta del Conde.

 

Puerta del Conde

 

Na Puerta del Conde, um dos fundadores da República Dominicana (Francisco del Rosario Sánchez) levantou pela primeira vez a bandeira do país. Além disso, o monumento faz parte da antiga murada da Cidade Colonial, sendo, por esses motivos, um dos lugares mais simbólicos do país.

Independencia Park, encontra-se a Puerta del Conde

Independencia Park: Puerta del Conde

Altar de la Patria

 

Trata-se de um mausoléu de mármore branco onde estão os restos mortais dos fundadores do país: Juan Pablo Duarte, Matías Ramón Mella e Francisco del Rosario Sánchez.

Independencia Park lá está o Altar de la Patria

Independencia Park: Altar de la Patria

Puerta de la Misericordia

 

O primeiro portão da cidade Colonial de Santo Domingo, construído em 1543. Está localizado a três quadras do Parque da Independência (Independencia Park).

Puerta de la Misericordia: A HISTÓRIA E O CHARME ESCONDIDO EM SANTO DOMINGO! 6

Puerta de la Misericordia